sábado, 5 de setembro de 2009

Livre-se de suas amarras

O homem pleno deve se livrar de suas amarras: a cobrança da sociedade, a responsabilidade (que pensa ter) por sentimentos alheios, a satisfação sobre o desnecessário a alguém, as próprias vaidades, os pensamentos consumistas, suas ambições e coisas do tipo.

As amarras travam o homem, travam seus verdadeiros desejos, inibem seu verdadeiro eu, travam a possibilidade da felicidade. Na verdade trazem uma felicidade ilusória, que muitos acham ser a verdadeira felicidade: felicidade das coisas e de aplausos.

A verdadeira responsabilidade fica oculta por trás de nossas amarras. A essência da vida fica enterrada diante de sua pesada terra. A maioria dos homens nunca conhecerá uma vida sem amarras, ao contrário, acham que estas lhes dão sentido.

A felicidade só é plena quando pode ser compartilhada, quando se consegue excluir amarras, quando se está livre para decidir.



Um comentário:

Feérica Fuzilêra disse...

Eis a verdadeira lucidez.